Lisboa – Portugal

E nessa de ficar cada semana num canto de Portugal, acabamos ficando também em Lisboa em um AirBnb no bairro Alfama – um dos mais antigos da cidade, conhecido pelo Fado – música tradicional portuguesa. O bairro é cheio de subidas e descidas e o mais legal é se perder por cada cantinho com seu charme, casas antigas, grafites e azulejos. Esqueçam carrinho de bebê por lá, melhor optar por um sling. Na primeira noite pedimos um hambúrguer que super recomendo: Green Burger.

Pelas ruas da Alfama

Ficamos bem do lado da Igreja Paroquial de São Miguel e de lá era fácil acesso andando para todo canto. Primeira parada foi no Mural da História de Lisboa por Nuno Saraiva – uma ilustração de diversos acontecimentos na cidade, incluindo o famoso terremoto de 1755. Ao fundo é possível ver a Igreja de São Vicente de Fora.

Igreja Paroquial de São Miguel
Mural da História de Lisboa

Subimos mais um pouco até o Miradouro das Portas do Sol e logo ao lado tem outro mirante, o Miradouro de Santa Luzia. A cidade vista de cima com o Rio Tejo ao fundo é bem bonita de qualquer um desses mirantes – e dos outros diversos espalhados pela cidade.

Miradouro das Portas do Sol

Fomos descendo, passeando pelas ruas com suas casas de azulejos – marca registrada de Portugal – passando pelo Arco da Conceição. Seguimos até a Casa dos Bicos que foi construída em 1523 e no piso térreo é possível ver as ruínas da muralha pertencente a Cerca Moura. Lá também fica uma exposição permanente sobre José Saramago.

Seguindo em frente, saímos na principal praça da cidade: Praça do Comércio aonde ficava o Palácio Real antes do terremoto que mencionei no começo. Lá fica o Arco Triunfal da Rua Augusta – principal rua da Baixa de Lisboa com diversos restaurantes e lojas.

Continuamos andando até o Elevador de Santa Justa – ou Elevador do Carmo que faz a ligação entre a Rua do Ouro com a Rua do Carmo. Fiquei impressionada com a beleza daquela estrutura enorme de ferro. Quase em frente, tem um elevador gratuito para subir para o Largo do Carmo que só vimos na hora de descer a rua pois fica como se fosse dentro de uma loja – olha a foto aí para entender hehe. Basta seguir o Google Maps que ele dá a direção de cruzar por aí.

Entrada para o elevador
Elevador do Carmo

Encontramos meu pai, irmão e a namorada dele na Praça Dom Pedro IV e subimos tudo até o Convento do Carmo – antiga igreja gótica também destruída pelo terremoto e que hoje é um museu arqueológico. Recomendo para quem gosta de história e arquitetura. Pagamos €5 por pessoa.

Voltamos para a praça aonde meu pai tinha deixado o carro e fomos até o Panteão Nacional, super imponente e aproveitamos que era um sábado e fomos conhecer a Feira da Ladra que fica ao lado – uma feira de antiguidades, coisas usadas (encontrei até um CD do Só Para Contrariar por lá haha). Ah, passamos também pelo Castelo de São Jorge mas não entramos.

Carro e Lisboa não combinam muito – por não ter como passar em algumas ruas como no bairro Alfama ou por não ter vaga para estacionar. Por conta disso, meu pai nos deixou em frente ao Museu do Fado e andamos até nosso AirBnb. A noite encontramos um amigo – Suri e sua esposa Marianna para comer no 100 Montaditos. Achei uma delícia e super baratinho.

No dia seguinte fomos até a Catedral da Sé de Lisboa e depois descemos até a Praça do Comércio aonde pegamos um Bolt (um Uber mais barato em Portugal) até Belém para comer os famosos Pastéis de Belém que só vendem lá. Em todos os outros lugares é chamado Pastel de Nata e a receita é um pouco diferente. Achei gostoso mas nada super especial pro meu gosto. Pedimos também um bolinho de bacalhau e é super estranho que aqui todos os salgados são servidos frio, diferente do Brasil né?!

Pastéis de Belém

Ficamos sentados no Jardim Vasco da Gama, curtindo a vibe e o solzinho bom que estava. Andamos até o Mosteiro dos Jerônimos e visitamos a Igreja. Eu amo essa arquitetura e seus diversos arcos. Seguimos até o Padrão dos Descobrimentos aonde fica também a Rosa dos Ventos.

Como estava um fim de tarde maravilhoso, voltamos andando beirando o rio até uma parte próxima a Ponte 25 de Abril para poder comer no Village Underground Lisboa. Pedimos um hambúrguer e depois um Bolt para voltar para Alfama. Outro dia, voltei apenas para ver a Torre de Belém e achei lindíssima – cheia de detalhes e uma vibe muito boa. Ah, e tem outro post sobre Lisboa da vez que fiz uma viagem de campervan por Portugal e Espanha. Clica aqui se quiser saber mais e até a próxima!

Torre de Belém

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s