De Adelaide a Perth – Motorhome

Ufa, última porém mais longa parte da viagem! Conseguimos uma motorhome da Maui pelo iMoova.com por $5 o dia, taxa de $25, depósito de $1000 – como nas outras vezes. A diferença foi que decidimos pegar um dia extra por $75 pois assim teríamos 7 e não 6 dias para chegar em Perth. Algumas vezes a empresa de relocação deixa pegar um dia a mais – depende da data que eles precisam da motorhome no destino.

DIA 10: Adelaide (SA) – Kimba (SA) – 487km

Pegamos a motorhome e passamos no mercado ($105) e seguimos direto até Port Augusta pois estava muita chuva. Passamos por umas cidadezinhas e essa foi a primeira grande que achamos. Baixei um aplicativo chamado FuelMapAustralia que compara o valor do combustível nos postos e fomos no mais barato da cidade. Aqui é comum que você mesmo abasteça seu carro e pague na loja de conveniência porém esse você pagava primeiro numa máquina e depois que o combustível era liberado para abastecer – é no meio do nada, super escuro e sem ninguém.

Seguimos viagem até Kimba e ficamos por lá pois já tinha dado 7 horas de viagem. Achamos um lugar – Kimba Free Camping – para motorhomes gratuito – super incrível – com chuveiro, banheiro e até wifi. A noite fez bastante frio.

DIA 11: Kimba (SA) – Yalata (SA) – 560km

Acordamos cedo e fomos ver a cidadezinha que por sinal eu recomendo a visita. Primeiro lugar foi em um silo todo pintado, surreal de lindo. Fui pesquisar e descobri que tem vários outros espalhos pelo estado de South Australia e Western Australia mas nenhum outro na nossa rota infelizmente.

Kimba Silo Art

A Austrália também tem várias “coisas grandes” espalhadas pelo país que quem me acompanha aqui no blog ou no instagram (@ca.pelo.mundo) já viu eu postando várias. Em Kimba eles tem o “Big Galah”, basicamente uma estátua gigante de um pássaro. Descobri também que Kimba fica bem na metade do caminho.

Paramos em Wirrulla para abastecer ($30) e esticar as pernas um pouco e depois novamente em Ceduna ($102). Depois de lá não tivemos mais internet até cruzar a fronteira de estados e chegar na cidade de Norseman – dois dias depois.

Eu já tinha lido que uma boa parte do trajeto não teríamos internet, principalmente com a operadora Vodafone então baixei o mapa offline para caso a gente precisasse. Esqueci de comentar que por algum motivo, a motorhome veio com WIFI portátil da Optus o que ajudou pois o sinal deles é mais forte – não tanto quanto a Telstra que dizem que quando pega é o melhor nessa região. Bom saber para se planejarem para uma viagem dessa.

Saímos um pouco da rota e fizemos uma pausa para almoçar na Denial Bay, um lugar com a água super clarinha, bem bonita.

Seguimos então para um dos lugares que eu mais queria ver nessa viagem – Lake Macdonnell em Point Sinclair. É um caminho de terra para uma praia que passa por dois lagos, um rosa e um azul. Infelizmente estava nublado então os dois lagos não estavam muito clarinhos mas fiquei feliz mesmo assim por ter ido lá e achei que valeu a pena. Esses lagos cor de rosa são sempre uma incógnita de quando estarão rosinha ou mesmo cheios – vi fotos de lá com o lago seco e no caminho também vimos vários lagos sem água.

Por conta do aplicativo, eu tinha visto que o último posto “em conta” seria em Nundroo, então paramos lá e enchemos o tanque ($45). Estava na faixa de $1,55 o litro do diesel e dali para frente subiu para quase $2. A gente estava literalmente indo pro meio do nada. Dormimos um pouco antes do vilarejo de Yalata, numa área de descanso chamada Ambrosia depois de 6 horas de estrada.

DIA 12: Yalata (SA) – Caiguna (WA) – 745km

Acordamos e fomos direto para a Head of the Bight, um lugar incrível para ver baleias de uma costa de penhascos. Como é ainda começo da temporada, não vimos nenhuma infelizmente e pagamos $7 cada para entrar no local.

Ambrosia Rest Area

No caminho paramos em mais dois mirantes – gratuitos – para contemplar esse lugar maravilhoso. No caminho tinha placa para tomar cuidado com os cangurus (essa super comum), wombat (tipo uma capivara daqui) e camelo (oi?)!

Bunda Cliffs
Camelo, wombat e canguru

Atravessamos a fronteira e há vistoria pois não pode cruzar de um estado para o outro com frutas, legumes e algumas outras coisas. Tive que cortar a cebola e tirar a casca e levaram nosso tomate embora rs. Bem na fronteira tem um posto numa vilinha mas o próximo já em Western Australia é bem mais barato.

Sem dúvidas o dia mais longo da viagem até porque depois que cruzamos a fronteira ganhamos 1h30 de dia por conta do fuso e aproveitamos que não teria nada no caminho e o Vini dirigiu mais de 9 horas. Paradas foram apenas nos vilarejos para abastecer – Eucla ($50), Madura ($50), Cocklebiddy ($10 de água para a motorhome) e Caiguna ($77). É sempre recomendado andar com o tanque cheio pois não se sabe quando será o próximo posto e se terá gasolina nele, então não arriscamos. Em Cocklebiddy tivemos que pagar pela água para encher o tanque de água da motorhome para tomar banho, cozinhar e etc. Como falei, estávamos no meio do nada. Dormimos em uma área de descanso novamente, chamada Baxter Rest Area em Caiguna uns 40km depois que começa a Nullarbor – 145,6km de uma só reta.

Estrada e mais estrada
Nullarbor
E é assim que eles fazem – cruzam a estrada do nada
Meio do nada com coisa nenhuma

DIA 13: Caiguna (WA) – Esperance (WA) – 572km

Levantamos, café da manhã e seguimos pela Nullarbor. Juro, a estrada parece sem fim no meio do deserto australiano. Paramos para abastecer em Balladenia ($50) e Norseman ($40) aonde a internet voltou! A cidade já é maiorzinha e também aonde tivemos que escolher entre continuar pela costa – caminho bem mais longo ou ir pelo meio. Lógico que optamos por finalmente ver praia depois de tanto tempo no deserto.

Seguimos então até Esperance e abastecemos ($107) – um dos meus lugares favoritos da Austrália! Eu já tinha ido para lá em outra oportunidade com uma amiga, veja aqui. Ficamos um pouco ali em Blue Haven e Twilight Beach e fizemos a Great Ocean Drive. Um caminho por algumas praias – uma mais linda e impressionante que a outra – que acaba no Pink Lake que pela segunda vez não estava rosa mas valeu o pôr do sol lá.

Por do sol no Pink Lake

Dormimos no estacionamento em frente a pizzaria Domino´s depois de 8 horas de estrada. Ufa!

Dia 14: Esperance (WA) – Albany (WA) – 530km

Acordamos e seguimos viagem, mas antes fomos tirar uma foto no Whale Tail, uma escultura linda de rabo de baleia na avenida de Esperance.

Whale Tail

Desviamos do caminho em Manypeaks depois de abastecer ($20) até Norman´s Beach para ver a praia que encontra o lago. Lá também tem um espaço para motorhome mas é pago. Estava um vento absurdo e uma nuvem de fumaça enorme bem em cima da praia. No inverno eles aproveitam para fazer queimadas autorizadas. Ficamos ali um pouco e em seguida paramos um pouco no acostamento para descansar.

Tentamos entrar em um National Park mas a motorhome era muito grande, estrada de terra, pequena e não rolou ai decidimos seguir até Albany mesmo. Nessa altura a viagem já estava bem cansativa pois só o Vini estava dirigindo e mais de 500km por dia. Passamos no mercado ($25) para comprar mais umas coisinhas – incluindo tomate rs.

E teve brigadeiro na motorhome sim!

Dormimos no estacionamento do Eyre Park, 2 minutos da Middleton Beach em Albany. 6h30 de viagem.

Dia 15: Albany (WA) – Margaret River (WA)

Fomos logo cedo ver o sol nascer na Middleton Beach, abastecemos ($85) e seguimos até Denmark. Albany tem bastante praia bonita para ver mas infelizmente não teríamos tempo, mas voltaremos com calma!

Nascer do sol e Middleton Beach

Seguimos até Denmark e achamos uma dump station na cidade. Dump Station é o lugar para esvaziar o banheiro e a água suja da louça/banho. Eles tem espalhados pelo país todo e sempre procurava no Sanidumps aonde estava o mais próximo gratuitamente. Se você fica em Holiday Parks que são lugares pagos, eles também tem esse serviço.

Fomos então até Green Pools, sem palavras, esse lugar é incrível – pena que estava frio e ventando porque fico louca pra entrar no mar quando vejo uma praia cristalina.

A gente viu que estava rolando campeonato de surfe em Margaret River e foi para lá que seguimos viagem. Chegando lá infelizmente não estava rolando onda e o campeonato iria continuar no dia seguinte na hora do almoço. Ficamos ali na praia Mouth of River, aonde cozinhamos e caminhamos. A praia é totalmente cheia de corais e placas de cuidado com tubarão.

O meu lugar favorito em Margaret River foi a Gnarabup Beach. Mar super clarinho mesmo com o tempo nublado. Sensacional. Quero muito voltar para explorar mais as praias dessa região que eu só conhecia por ser famosa pelos vinhedos.

Gnarabup Beach

Fomos até o centrinho da cidade, demos uma volta por ali e dormimos em um dos estacionamentos perto do supermercado. 6 horas de viagem.

DIA 16: Margaret River (WA) – Perth (WA) – 301km

E o último dia da nossa aventura chegou!!

Tentamos ir na degustação de chocolates mas abria só as 9 da manhã então seguimos viagem, afinal nessa altura já queríamos chegar logo em Perth. Abastecemos ($106) e partimos.

Decidimos parar em Busselton para conhecer o Busselton Jetty e adorei! Por ser bem cedo, não tinha quase ninguém – nem mesmo o guichê que cobra a entrada. Caminhamos por todos os 1.8km de extensão mar a dentro, muito legal! Dá para fazer de trenzinho também.

Busselton Jetty

De lá seguimos para Perth e vimos um camelo no caminho mas não deu tempo de tirar foto. Chegamos a tarde, completamos o tanque ($48) e depois de 4h30 estávamos no nosso destino.

No total, de Sydney a Perth foram 16 dias com as paradas de 2 dias em Melbourne e 1 em Adelaide aonde rodamos quase 6000km pela costa australiana. A parte de Adelaide para Perth foi sem dúvidas a mais cansativa por não ter muita coisa para parar e ver no caminho. Perto de Adelaide tem bastante coisa porém teria que sair muito da rota então tentamos nos manter o mais perto da estrada principal.

Investimos $870 para 7 dias de motorhome e rodamos 3612km:

Relocação motorhome: $130
Diesel: $610 (Tivemos $150 de reembolso)
Comida: $130

PERTH:

No primeiro dia fomos dar uma volta em Fremantle e paramos no Rainbow Containers. Depois demos uma voltinha no Fremantle Market e aproveitamos para tomar uma no fim de tarde na famosa cervejaria Little Creatures com direito a música ao vivo. Amei! Esse bairro é demais e tem uma vibe incrível, bem vivo.

No dia seguinte fomos até o centro da cidade e passamos pela London Court – uma partezinha que imita a arquitetura das ruas de Londres. Seguimos caminhando até Elizabeth Quay e descansamos um pouco por ali. Caminhamos até Northbridge e voltamos para casa. Achei bem legal ter transporte gratuito no centro da cidade.

E para terminar nossos primeiros dias na cidade, fomos até a Heirisson Island andando de casa. É uma pequena ilha com três cangurus com vista para o centro da cidade. Curti lá. Depois fomos até a famosa Blue Lake House. Por enquanto é isso, mas fiquem de olho no meu Instagram @ca.pelo.mundo para mais novidades da cidade e de viagens pelos arredores de Perth.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s