Mochilão Ásia – Planejamento

As primeiras coisas que todo mundo que quer fazer um mochilão pergunta são: Quanto dinheiro é investido nessa experiência? Quanto tempo ficar em cada país? O que levar? Para ajudar vocês vou dividir um pouco da minha experência em duas postagens!

Viajei entre novembro e janeiro por 9 semanas pela Ásia  -Emirados Árabes, Tailândia, Vietnã, Camboja, Malásia, Cingapura, Filipinas e Japão.

11071048_10205952955076213_7103873997292477057_n
Vamos lá…

Para planejar seu mochilão, seguem algumas dicas de como eu fiz:

1 – Ver quanto tempo terá disponível no total (eu tinha 9 semanas), quais países tem interesse em visitar (todos haha) e uma média de quanto dinheiro conseguirá juntar;

2 – Olhar o mapa e ver o que fica mais viável para decidir os países e pensar em possíveis rotas de um país para o outro, nisso já eliminar os que ficam muito fora do trajeto;

3 – Pesquisar o quanto cada país tem a oferecer e aonde ficam as cidades, marcar o que faz muita questão de ver e o que talvez para depois poder eliminar o que não der tempo;

4 – Pesquisar e encaixar prazos de vistos (ex: para o Vietnã meu visto era só de 2 semanas então sabia que não ficaria mais do que isso) e começar a ver quanto tempo pretende ficar em cada país;

5 -Reservar vôos longos uns 2 meses antes (ex: ida Austrália – Tailândia, retorno Filipinas – Austrália)  e daí já fecha as datas exatas de ida e volta;

6 – Com o tempo total planejado, passagens de ida e volta e uma idéia de tempo médio em cada país você pode começar a ver passagens aéreas de um país para o outro. Uma dica é ser flexível e ver as datas mais baratas (sempre meio da semana) e encaixar o roteiro. Exemplo, você quer ficar 14 dias na Tailândia mas a passagem mais barata para a Malásia será dois dias a mais, então mude os planos e fique mais;

7 – Agendar hospedagem dos primeiros dias, não reserve da viagem inteira pois poderá se arrepender, e ir reservando o restante 2-3 dias antes de chegar no destino. Na viagem você sempre conhece gente que já foi para aonde você está indo e pode te dar dica de um lugar bom e barato ou mesmo ir viajar com você para seu próximo destino. Dividir um quarto privado entre duas pessoas sai quase o mesmo preço que uma cama num quarto compartilhado. Reserve apenas aquele que você já ouviu falar mil vezes que é sensacional e faz questão de ficar, caso contrário fique tranquilo, a viagem se constrói dia a dia;

8 – Aí você vai me perguntar, mas Carol, como eu faço para ir de um canto para o outro dentro dos países? Essa era uma das minhas maiores preocupações, querer reservar os ônibus (balsas no caso da Tailândia) antes mesmo de ter embarcado e não precisa. Tem tantas companias de ônibus que um 1 dia antes (2-3 se for alta temporada) é suficiente para planejar a sua próxima parada. Todos os hotéis e hósteis tem parcerias com agências e vendem passagens, nada com que se preocupar. Reserve sempre 1 dia para a viagem. Outra dica legal é uma vez que você já sabe qual empresa é bacana (eu vou recomendar algumas nos posts das viagens) você pode ir direto no guichê da empresa de ônibus e pagar ainda mais barato, sem a comissão da agência! Os hotéis dizem que se você reserva com eles a compania de ônibus te busca no hotel como se isso fosse um extra deles quando na verdade, a própria compania de ônibus tem esse serviço. Todas as empresas que viajei fechando direto na compania ou no hotel (no começo) me pegaram no hotel;

9 – Comprar um seguro saúde – eu comprei da Cover More Travel Insurance com o pessoal da agência de intercâmbio STB! Muita gente acha besteira (- Ahh, eu nunca fico doente, nunca me acidento… ) mas é super importante. Principalmente no sudeste asiático, os hospitais são bem precários e tenho certeza que você não irá querer ser atendido nos locais públicos.Viagem é um investimento e seguro saúde não pode ser uma opção;

10 – Fazer um Travel Card no seu banco. Acho arriscado levar grande quantia em dinheiro, não por ser roubado porque eu me senti super segura lá, mas mais por perder e pela facilidade que um cartão te trás. Eu fazia o saque do valor máximo do dia e pagava tudo em espécie, se era algo de valor alto aí passava o cartão. Esses cartões tem boas taxas de conversão e cobram uma taxa de $3,50 por saque, por isso já sacava valores mais altos as vezes durava o período todo num país. É legal sempre ter dólares em espécie para uma emergência (e dólar americano para o visto no Camboja) e um pouco do dinheiro local para a chegada apesar de que todo aeroporto/rodoviária tem caixa eletrônico para saque;

11 – Pronto, agora é só fazer as malas e embarcar!!! Em boa parte da Ásia as roupas são super baratas, vale a pena comprar lá. O Vietnã por exemplo, é famoso pelas alfaiatarias além das cópias de roupas de marca. Todos os hotéis que fiquei davam kit de banheiro mas é sempre bom levar um daqueles de viagem também (lembrem que bagagem de mão não pode ter frasco com mais de 100ml). Para os vôos a regra é sempre 7kg porém eu viajei com 12kg e tive sorte de nunca pesarem pois minha mochila parecia pequena.

MOCHILÃO – O que eu levei: Câmeras (uma a prova d´água), carregadores, adaptador universal, celular, chinelo, tênis, sapatilha (usei 2x só, não vale a pena), legging e moletom para as viagens (arcondicionado sempre muito gelado), guia de mochileiros, roupas básicas fáceis de combinar, bikini, máscara de snorkel (você sempre paga para alugar nos barcos e fica livre para fazer snorkel em qualquer lugar que quiser – paguei $20 no Kmart), kit de banho pequeno, fone de ouvido e iPod, passaportes, seguro saúde impresso, óculos de sol e cadeado.

Dica extra: Eu levei um guia de mochileiro e sempre um dia antes de ir para a próxima cidade/país eu lia sobre a cultura, costumes, comidas e o que ver/fazer assim tava tudo fresco na memória. Eu também salvava os locais que eu queria no Google Maps no celular para ficar fácil de ver qual lugar é mais próximo do outro e planejar os dias. O legal é que o mapa funciona offline também. Tenho certeza que tem vários aplicativos que ajudam também, mas eu não utilizei nenhum.

O mais legal é não se prender 100% a um roteiro e sim ter uma idéia, um planejamento inicial pois assim você consegue curtir muito mais. Ás vezes se apaixona por um lugar que nem imaginava e decidi ficar mais ou chega em um um lugar que a previsão é de chuva a semana toda e decidi ir embora antes. Muita gente pergunta se tem que ter o vôo de saída de cada país, se você for sair de ônibus você pode dizer isso ao oficial de imigração. Acredito que você não será barrado de entrar mas podem pedir para que você compre ali na hora. Lembrando que as informações dadas são baseadas unicamente nas minhas experiências e não são oficiais.

Espero ter ajudado e se inscreva no blog para receber mais dicas e as atualizações de cada cidade que visitei!!!

3 comentários sobre “Mochilão Ásia – Planejamento

  1. Oi Cá.
    Obrigada pelas informações.
    Mas gostaria de te perguntar uma coisa. Talvez tenha que viajar pela Ásia no fim do ano, sozinha… vc pode me dizer como é, por favor?

    Curtir

    1. Oi Myla, eu conheci bastante gente viajando sozinha e ai as pessoas acabam se conhecendo e ate viajando juntas. Acho que tem sempre ficar esperta, principalmente com seu passaporte e dinheiro. Tem um post que falei das ciladas que podem acontecer ai ja te ajuda a se preparar. Mas pode ir sim, se joga 🙂 boa viagem!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s