Istambul – Turquia

Que tal conhecer a Turquia com conexão na Sérvia?! Saímos cedo de Belgrade e chegamos no aeroporto Sabiha que fica no lado asiático do país. Para quem não sabe, a Turquia fica em dois continentes: asiático e europeu. Do aeroporto pegamos um táxi para o Rhiss Hotel Maltepe já que por lá tudo é super barato e queríamos aproveitar o resto do dia. 

Chegando no hotel, fomos super bem recebidos porém os recepcionistas não falavam quase nada de inglês o que dificultou um pouco as coisas. O hotel fica não muito próximo das atrações mas é muito confortável e aconchegante, escolhemos ele pois queríamos conforto e paz também para comemorar. Deixamos as coisas no quarto e expliquei pro recepcionista que precisava ir para o centro da cidade e também comprar as passagens de ônibus para Pamukkale. Não sei o que ele entendeu, só sei que 5 minutos depois tinha um táxi na porta pronto para nos levar – lógico que o taxista também não falava inglês. Entramos no táxi e 10 minutos depois, ele parou o carro e entendi que tínhamos chegado mas não era possível afinal eu sabia que estávamos não muito próximos. Depois de muita paciência, google tradutor e mimica nos entendemos. Aquele era o centro, o centro do bairro que estávamos! Pelo menos por ali vendia as passagens pra Pamukkale. Conseguimos comprar, fazendo mimica e apontando a hora e o dia da passagem e de lá fomos direto pra principal mesquita da cidade: Blue Mosque. Que aventura! É impressionante a beleza do lugar. Queríamos entrar, mas estava fora do horário de visitação então fomos dar uma volta na cidade para matar o tempo. 

Blue Mosque

De lá caminhamos até a Hagia Sophia e seguimos sem rumo. Istambul é fácil de caminhar e é interessante se perder por suas vielas. Passamos por um bazar que já estava fechando e voltamos para a mesquita. 

Bazar

Na hora de entrar no Blue Mosque, tive que colocar um pano para cobrir meu cabelo e tirar os sapatos e já tinha ido de calça pois sabia dos costumes locais. Não tem palavras nem fotos que descrevam a riqueza de detalhes e a beleza do lugar.

Seguimos em direção a estação e achamos um restaurante chamado Semazen Restaurant que parecia interessante. Pedi uma comida bem tradicional chamada Kasarli Pide, é como uma esfiha só que em forma de canoa, escolhi sabor queijo. Boa demais!

Kasarli Pide

Na volta, conseguimos finalmente um mapa do metro e pudemos explorar o transporte local, super fácil e prático de usar. 

No dia seguinte acordamos cedo e fomos tomar café da manhã no hotel. Uma vista incrível e uma variedade infinita, adorei! Depois de um bom café da manhã e um banho de banheira estávamos prontos para mais um dia.

Café da manhã
Vista do hotel

Pegamos o trem até a estação de Sirkeci e caminhamos até o Gulhane Park. Fiquei apaixonada pela quantidade de flores que tinha por lá, tudo muito lindo, posso até dizer que foi um dos lugares que mais gostei em Istambul. 

Gulhane Park
Muitas flores

Seguimos até o Topkapi Palace mas a fila estava enorme e decidimos não entrar. Decisões tem que serem feitas quando se tem pouco tempo na cidade. Passamos mais uma vez na Sultanahmet Square e vimos o Blue Mosque no nosso caminho para o famoso Grand Bazaar. 

Topkapi Palace
Mais uma do Blue Mosque

O Grand Bazaar é enorme, super organizado e bem bonito bem diferente do que eu esperava. Achava que ia ser mais no estilo do Marrocos, diversas barracas, quase caindo, cheias de bugiganga. Lógico que o por o bazar ser organizado fica mais claro e fácil de achar as coisas mas o outro estilo combina mais países arábes na minha opinião. 

Por dentro do Grand Bazaar
Detalhes

Continuamos a caminhada e saímos em frente a Universidade de Istambul, muito bonita por sinal. Logo depois vimos mas uma linda mesqusta, Suleymaniye Mosque, coisa comum por aqui. A fome bateu e escolhemos um pequeno restaurante no caminho chamado Özkan e mais uma vez a minha escolha foi o Kasarli Pide. Confesso que foi o que comi basicamente todo dia o dia todo pois não sou muito fã de Kebab e dessas carnes diferentes que eles comem.

Universidade de Istambul
Suleymaniye Mosque

Os costumes árabes são bem diferentes dos nossos, a começar pelo banheiro. Na maioria dos lugares o que você encontra é isso aí que você está vendo na foto abaixo, agacha e vai. Eles também tem costume de se lavar com água depois de utilizar o banheiro, a mão esquerda fica para isso e a direita é a que usam para comer alimentos com as mãos. Vivendo e aprendendo. 

Agacha e vai

O Grand Bazaar é o mais conhecido de Istambul e provavelmente da Turquia mas eu adorei mesmo o Spice Bazar, esse sim faz jus ao país. Diversas especiarias, doces turcos, souvenirs, louças e muita, muita cor. Adorei mesmo! 

Spice Bazar

Paramos para conhecer mais uma mesquita New Mosque, achei muito linda por dentro, principalmente os detalhes nas cerâmicas. Na entrada eles param para lavar os pés antes de entrar e mais uma vez tive que cobrir o cabelo. Na nossa caminhada reparei na incrível quantidade de gatos que tem nas ruas de Istambul, queria saber o porque.

Moço lavando os pés
Linda cerâmica
Pés descalços
New Mosque

Decidimos fazer um passeio de barco até a Bosphorus Bridge, a principal que liga o lado asiático ao lado europeu. Vimos de longe a Galata Tower, dizem que é legal subir nela mas não me pareceu tão interessante a ponto de querer ir lá. Passamos em frente ao Ciragan Palace e Dolmabahçe Palace também. O passeio durou uma meia hora e começou a chover e esfriar, nada bom.

Galata Tower ao fundo
Bosphorus Bridge
Çiragan Palace
Friozinho no barco

De lá seguimos para o hotel aonde tínhamos deixado as malas para poder seguir viagem para Pamukkale. O táxi nos deixou no mesmo local que compramos as passagens e lá fomos nós.

Depois de passar 2 dias em Pamukkale voltamos para mais uma manhã em Istambul. Descemos do ônibus já no lado europeu pois fomos encontrar a Amy – a americana que conhecemos em Pamukkale. Pegamos um metro até perto do hostel dela, deixamos a mochila e fomos dar uma última volta. Decidimos voltar no Spice Bazar para comprar umas lembrancinhas e comeu a chover horrores. Nos abrigamos em uma loja de souvenir e esperamos um pouco a chuva passar. A Amy tinha comido um sanduíche de peixe em uma barraquinha em frente ao rio outro dia e nos disse que era maravilhoso. Já ensopados e com fome foi o que fizemos e realmente, não sei se era a fome e o frio mas foi um dos sanduíches mais simples e gostosos que comi. Peixe branco fresquíssimo pescado ali do rio com limão e salada. Perfeito e de dar água na boca!

Sanduíche de peixe com a Amy depois da chuva

Foi nossa última refeição em solo turco antes de partir, com a Amy, para Sérvia novamente. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s