Aswan e Felucca Trip pelo Rio Nilo – Egito

Pegamos um trem overnight de Cairo para Aswan e bom, digamos que não foi a melhor experiência do mundo mas definitivamente rendeu história. A viagem de 12 horas foi num trem lotado, cheio de famílias, crianças correndo e chorando, luz acesa a noite toda, sem contar que a cada parada um rapaz entrava vendendo e anunciando o chá para todo mundo – super comum por lá. Enfim, finalmente depois dessa aventura chegamos e fomos direto para o hotel.

O famoso chá e o trem de fundo

A tarde tivemos um passeio opcional muito legal para Philae Temple que fica em uma ilha então tivemos que ir de barquinho. A região é sempre sujeita a inundação por causa da alta do rio e originalmente ele ficava em outra ilha que hoje já esta abaixo do nível do mar. Imagina só “desmontar e montar” o templo exatamente igual em outro lugar?! Muito surreal.

Philae Temple

Lá tem muito hieróglifos e representações, fiquei apaixonada também pelas pilastras, mesmo hoje em dia ainda são cheias de detalhe. O nosso guia nos contou que o templo foi inicialmente construído para Isis porém seu marido (e irmão) Osiris e seu filho Horus também foram adorados no local. É possível ver nas paredes imagens de todos eles inclusive de Horus com a coroa das duas partes do Egito (inferior e superior) e Isis. No Egito existe mais de 300 deuses, um para cada coisa e até hoje muitos acreditam e seguem tradições que nem eles mesmos sabem explicar o porque. 

Muitas representações e hieróglifos
Isis e Horus com a dupla coroa
Apaixonada pelo Egito

Outra coisa interessante foi que os cristãos romanos por anos invadiram o Philae Temple e “estamparam”  em diversas partes das paredes o símbolo do cristianismo, algumas vezes até em cima de representações. O intuito era acabar com a religião no Egito e eles até conseguiram que o templo fosse fechado por um tempo porém não para sempre. Hoje esse templo representa a força da religião e a força da Deusa Isis – deusa da saúde, sabedoria e casamento. 

Símbolo do cristianismo em cima dos hieróglifos
Nosso guia
Mais símbolo do cristianismo

De lá fomos pegamos o barco de volta e fomos a camelo para a Nubian Village, foi muito legal poder ver os locais, os núbios. Foi a primeira vez que andei a camelo na minha vida, achei super divertido, no começo dá um pouco de medo mas depois acostuma com aquele sobe e desce mas meia hora passa rapidinho ainda mais curtindo a vista. 

Rio Nilo e o pôr do sol
Andando a camelo

Chegando lá tivemos aula de árabe dentro de uma sala de aula da escola local mesmo, super simples , foi muito bom viver aquilo. Aprendi algumas palavrinhas básicas para usar no resto da minha estadia por lá. Na vila tinha também diversas barraquinhas de artesanato e coisas locais, acabei comprando um lenço rosa muito lindo, super barato, afinal aqui a lei é sempre pechinchar. Amei! 

Aula de árabe – eles escrevem da direita para a esquerda 
Nossa turma e o professor núbio

Depois da aula fomos jantar num restaurante e comemos uma comida super caseira, sempre com muito pão Aish, típico do Egito. De barriga cheia e felizes com a experiência, pegamos nossos camelos de volta e depois o barco novamente para irmos para o hotel descansar. 

Nubian Village

 

Caminho de volta

No dia seguinte de manhã acordamos cedo pois a próxima parada fica a 230km de Aswan, fomos para a Abu Simbel, um dos templos que mais gostei, lindo e surreal demais! Esse, assim como o que fomos no dia interior, também teve que ser mudado para um lugar mais alto por conta das inundações. Esse projeto me deixa tão feliz por saber o quanto eles querem manter a história viva e o quanto fazem questão de que tudo fique o mais igual possível. Um exemplo disso é que a cabeça de um dos quatro Ramses II que ficam na entrada do templo caiu durante um terremoto, muito antes do templo ser trocado de lugar, e eles prefereriram deixar como originalmente foi achado ao invés de tentar remontar a cabeça.

Sem cabeça

No local tem dois templos, o maior é o de Ramses II e o menor de Nefertari (uma das esposas de Ramses II). Logo na entrada já é impressionante ver aquelas quatro estátuas de Ramses II com a dupla coroa do Egito de 20 metros de altura cada, bonito demais. Lá dentro é proibido tirar fotos para poder conservar o templo, tudo muito surreal.  

01.11 Abu Simbel - Ramses II e Nefertari (44).JPG
Abu Simbel – Ramses II Temple

Porém nós compramos algumas fotos que são vendidas para ajudar a conservar o local e assim podemos ter mais recordações. A foto abaixo fica no fundo do templo na parte chamada The Holiest of the Holies (Os mais sagrados dos sagrados) e representa quatro deuses: Ptah, Amun-Ra, Ramses II e Ra-Harakhte. Acredita-se que o templo foi construído de tal forma que quando os raios sol nos dias 21 de fevereiro (aniversário do rei) e 22 de outubro (dia de sua coroação) entram no templo iluminam esses três deuses menos Ptah, o Deus do submundo. Coincidência ou não?!

The Holiest of the Holies

O templo de Nefertari é um pouco menor mas nem por isso menos bonito e foi o segundo templo construído para uma mulher. Na entrada tem as estátuas do rei e da rainha e as imagens menores ao lado são as princesas. Pode-se notar também que os deuses sempre estão segurando a Ankh que para eles significa vida eterna. 

Abul Simbel – Nefertari Temple
Ankh

No caminho de volta passamos em uma loja de essências, coisa bem típica do Egito. Os recipientes para colocar as essências eram uns mais lindos e delicados que os outros, foi difícil escolher mas consegui.

Loja de essências

Uma das melhores partes da viagem estava por começar: Felucca Trip! Para os que não sabem, felucca é um barco de madeira a vela muito utilizado no Egito e foi a nossa casa por dois dias. Simplesmente demais!  

Felucca

Assim que embarcamos foi nos servido comida, uma maravilha. Ficamos tomando sol, batendo papo, curtindo a vista e aproveitando para relaxar. O barquinho tem uma cozinha bem pequena aonde nosso chef fazia nossas refeições e depois que assistimos o pôr do sol o jantar foi servido. Adorei comer ali, naquele clima, o pessoal que estava conosco era muito gente boa. Aqui eles usam muito as mãos para comer e o pão Aish como colher para pegar alguns alimentos.

Hora de comer
Pôr do sol
Hora do jantar
Cozinha e o cozinheiro

Compramos também algumas bebidas para levar a bordo e curtir ainda mais. Para dormir, encostamos numa costa do Rio Nilo e capotamos na felucca com nossos colchões de dormir.

No dia seguinte de manhã acordamos e aproveitamos para nadar no rio, água limpinha e super gostosa, foi nosso banho do dia. Outras feluccas pararam também no mesmo local e fizemos um time de futebol, super divertido, tinha gente de todo mundo inclusive os locais. 

Beira do Rio Nilo
Rio Nilo
Futebol com a galera
Fogueira 
Dançamos o a noite toda

Na manhã seguinte descemos no Kom Ombo Temple já na região de Luxor que será assunto pro próximo post. Continue acompanhando que essa viagem foi demais! 

 

No fim do dia fizemos uma fogueira com todo o pessoal e os núbios tocaram seus instrumentos e suas músicas, foi uma diversão sem fim vivenciar toda essa cultura. Ficamos ali cantando, dançando e nos divertindo a noite toda, bom demais. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s